Petrobras avança com processo de venda e rumores apontam para a 3R Petroleum

A Petrobras deve anunciar em breve o nome da empresa que seguirá no processo de negociação final para aquisição do Polo Potiguar, complexo que contempla 26 campos (23 onshore e três offshore de águas rasas) e mais toda infraestrutura de processamento, refino, logística, armazenamento, transporte e escoamento de petróleo e gás natural.

Rumores de mercado dão conta de que a 3R Petroleum foi selecionada como preferencial bider do processo, já tendo sido aprovada pela Diretoria da petroleira nessa semana.

A proposta da petroleira para aquisição do ativo teria superado a marca de US$ 1 bilhão. Visto como um dos maiores complexos do programa de desinvestimento, o Polo Potiguar inclui o campo de Canto do Amaro e a Refinaria Clara Camarão.
A informação sobre a seleção preliminar da 3R Petroleum não é confirmada oficialmente, ainda que os rumores sejam cada vez mais fortes. As propostas firmes do Polo Potiguar foram recebidas há cerca de um mês. Entre as empresas que apresentaram ofertas estão a Origem Energia, Ubuntu e Seacrest.

A 3R apresentou proposta sozinha, sem indicar a formação de um consórcio formal. A petroleira possui acordos pré-formatados com possíveis sócios, que teriam que buscar recursos para ingressar no negócio.

Avançando no processo, a 3R Petroleum e a Petrobras iniciarão negociação direta dos contratos de compra e venda. A nova etapa deverá se estender por cerca de seis meses.

O futuro comprador do Polo Potiguar assegurará um lugar de destaque com o novo ativo. O complexo compreende três subpolos – Canto do Amaro, Alto do Rodrigues e Ubarana, todos dos no Rio Grande do Norte. Os campos do subpolo Ubarana estão localizados em águas rasas, entre 10 e 22 km da costa do município de Guamaré, enquanto as concessões dos subpolos Canto do Amaro e Alto do Rodrigues são todas onshore.
O subpolo do Canto do Amaro é formado pelos campos terrestres de Canto do Amaro, Barrinha, Barrinha Leste, Barrinha Sudoeste, Benfica, Boa Vista, Fazenda Canaan, Morrinho, Mossoró, Pedra Sentada, Pitassilgo, Poço Verde, Redonda Profundo, Serra do Mel e Serra Vermelha. Já o subpolo de Alto do Rodrigues conta com as concessões onshore de Alto do Rodrigues, Fazenda Pocinho, Guamaré, Guamaré Sudeste, Monte Alegre, Estreito, Serraria e Angico.

O subpolo Ubarana compreende os campos offshore de Cioba, Oeste de Ubarana e Ubarana. O sistema conta com 17 plataformas fixas, sendo duas habitadas, e 11 jaquetas.

Na parte de downstream e midstream, o complexo conta com a Refinaria Clara Camarão, com capacidade instalada para 39,6 mil barris/dia, e três UPGNS, sendo duas hibernadas e uma em operação com capacidade para processar 1,8 milhão de m³/dia de gás.
No caso da 3R Petroleum, o negócio poderá assegurar um novo patamar à carteira de projetos da empresa no país. Junto com as oportunidades adquiridas anteriormente no programa de desinvestimento da Petrobras, com os polos de Rio Ventura, Papa-Terra, Macau, Recôncavo, Fazenda Belém e Pescada-Arabaiana, as estimativas são de que a petroleira passe a ter quase 500 milhões de barris equivalentes de reservas P2.

O negócio assegurará ao novo comprador uma posição de destaque também no segmento de produção de gás local. A produção média do Polo Potiguar de janeiro a novembro de 2020 foi de aproximadamente 23,3 mil barris de óleo por dia e 96 mil m²/dia de gás natural.

Confirmando o fechamento do negócio futuramente, a 3R Petroleum irá assegurar seu ingresso no segmento de downstream. Não há confirmação se o grupo tem interesse em manter a refinaria Clara Camarão na carteira.

Fonte:https://petroleohoje.editorabrasilenergia.com.br/3r-na-frente-pelo-polo-potiguar/