A empresa sueco-israelense Eco Wave Power (EWP) e o Porto de Pecém, no Ceará, assinaram um memorando de entendimento visando a construção de uma usina movida a ondas do mar. Segundo o documento, as partes estão interessadas na construção, instalação e operação da planta de geração com a tecnologia fornecida pela EWP.

De acordo com os planos, a ideia seria montar uma série de conversores de energia das ondas conectados à rede (como ilustra a imagem acima). Os equipamentos seriam instalados no quebra-mar do Porto de Pecém, com capacidade de até 9 MW. O Porto de Pecém e a EWP trabalharão juntos para redesenhar os conversores de energia da empresa para uso em águas tropicais.

O CEO do Complexo do Pecém, Danilo Serpa, lembrou que o porto acolheu, de 2010 a 2015, o primeiro protótipo de conversor de energia das ondas em escala real da América Latina. O empreendimento deu o know-how para a unidade avançar para esta nova empreitada, agora em escala comercial.

06042018620512104

A EWP tem uma tecnologia simples e viável que pode usar as estruturas marítimas existentes do porto para produzir eletricidade limpa a partir das ondas. Isso está totalmente de acordo com os objetivos do nosso porto de se tornar o primeiro terminal portuário do mundo a realizar um teste de energia oceânica em águas tropicais. Essa é a nossa contribuição para o combate às mudanças climáticas”, afirmou Serpa.

De acordo com um estudo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (COPPE / UFRJ), publicado em 2019, o Brasil tem um potencial de energia gerada a partir de ondas estimado em 91,8 GW, considerando os 7.491 km da nossa costa. A EWP diz que a conversão de apenas um quinto desse potencial seria suficiente para abastecer cerca de 35% da demanda de eletricidade do país.

Fonte: https://petronoticias.com.br/complexo-de-pecem-assina-memorando-para-construcao-de-usina-movida-a-ondas-do-mar-no-ceara/