aqqsss

As empresas BASF, SABIC e Linde assinaram um acordo conjunto para desenvolver soluções para fornos de craqueamento a vapor aquecidos eletricamente. Os parceiros já trabalharam juntos em conceitos para usar energia renovável em vez do gás de combustível fóssil, normalmente usado para o processo de aquecimento. Com essa abordagem inovadora, com foco em um dos principais processos da indústria petroquímica, as companhias investem para oferecer uma solução para contribuir significativamente para a redução das emissões de CO2 na indústria química. Os crackers a vapor desempenham um papel central na produção de produtos químicos básicos e requerem uma quantidade significativa de energia para quebrar os hidrocarbonetos em olefinas e aromáticos. Normalmente, a reação é conduzida em temperaturas de cerca de 850 graus Celsius em seus fornos. Hoje, essas temperaturas são atingidas pela queima de combustíveis fósseis. O projeto visa reduzir as emissões de CO2, alimentando o processo com eletricidade. Ao usar energia de fontes renováveis, a tecnologia fundamentalmente nova tem o potencial de reduzir as emissões de CO2 em até 90%.

qaqsss

A BASF e a SABIC uniram o know-how e as propriedades intelectuais no desenvolvimento de processos químicos, juntamente com suas experiências e conhecimentos na operação de crackers a vapor, enquanto a Linde contribuiu com sua propriedade intelectual, experiência no desenvolvimento e construção de tecnologias de fornos de craqueamento a vapor e direcionamento para uma futura comercialização industrial. Martin Brudermüller( foto principal), Presidente do Conselho de Diretores Executivos da BASF, disse que  “Este salto tecnológico será um marco no caminho para uma indústria química de baixa emissão de carbono. Não apenas desenvolvemos os primeiros conceitos de aquecimento elétrico do mundo para crackers a vapor, mas também queremos demonstrar a confiabilidade dos principais componentes para uso nesse tipo de reator de alta temperatura. Para ser capaz de impulsionar uma implementação industrial e de escala em tempo hábil, o apoio ao investimento e preços competitivos de energia renovável serão pré-requisitos importantes.”

swswss

Yousef Al-Benyan, Vice-Chairman e CEO da SABIC, afirmou: “Nossa indústria prospera com inovação e colaboração, o que nos permite apresentar e entregar contribuições importantes para desafios globais urgentes, como eficiência de recursos e redução de CO2. Esse acordo reúne o profundo conhecimento técnico e foco de implementação que podem ajudar a transição de processos intensivos de energia em nossa indústria para processos de baixa emissão de carbono. Essa iniciativa emblemática de sustentabilidade faz parte da visão de longo prazo da SABIC e da estratégia de mudança climática para transformar nossos negócios por meio do conceito de economia circular de carbono.”  

Para Juergen Nowicki(foto a esquerda), vice-presidente executivo e CEO da Linde Engineering,  “Com esse projeto, estamos destacando um produtor industrial específico de CO2. Os fornos de craqueamento são uma das maiores fontes de emissão de CO2 em toda a cadeia de valor da petroquímica. Essa é uma tecnologia testada e otimizada que agora estamos colocando em uma base completamente nova, não no laboratório, mas em grande escala industrial. O efeito que esse projeto terá é significativo. Estamos orgulhosos de fazer parte disso.”

Fonte: https://petronoticias.com.br/basf-sabic-e-linde-se-unem-para-criar-fornos-de-craqueamento-a-vapor-aquecidos-com-energia-eletrica-renovavel/