A nova gestão da Petrobrás, que será encabeçada pelo novo presidente Joaquim Silva e Luna, terá em mãos a condução de um importante empreendimento para o futuro da exploração e produção na Bacia de Santos. A companhia receberá no dia 20 de abril as propostas de licitantes para o chamado Projeto Malha Óptica. A ideia é prover infraestrutura de telecomunicações através da interligação de fibra óptica entre as plataformas do pré-sal da Bacia de Santos e centros de controle em terra. O edital foi colocado em praça nos últimos dias e terá abrangência nacional, sendo assim uma das grandes disputas a movimentar o mercado brasileiro daqui em diante.

O contrato que será oferecido pela petroleira vai abranger a prestação dos seguintes serviços: projetos de engenharia, instalação de sistema submarino, chegada das fibras até à praia, além do fornecimento de bens para implementação da rede. A malha óptica contará com um cabo troncal de 833 quilômetros, interligando a praia Balneário, na cidade de Praia Grande (SP), à praia da Macumba, no Rio de Janeiro. Essa linha vai conectar, ao todo, 13 plataformas do pré-sal da Bacia de Santos: PMXL-1, P66, P-67, P-68, P-69, P-70, P-71, P-74, P-75, P-76, P-77, FPSO Guanabara e FPSO Sepetiba.

cabo-submarino

Além do cabo troncal de 833 quilômetros, o projeto contempla ainda um total de cerca de 208 quilômetros de cabos para os ramais e 13 umbilicais ópticos de 58 quilômetros, que serão usados para ligar as plataformas à malha. Além dos cabos ópticos e dos ramais, o contrato prevê ainda a instalação de equipamentos nas unidades de produção e também nos dois centros de controle em Praia Grande e no Rio de Janeiro.

As atividades da futura contratada também vão incluir levantamento de dados geofísicos e geotécnicos, detalhamento do projeto de engenharia, elaboração de procedimentos executivos, ancoragem dos umbilicais ópticos, entre outras atividades.

A Petrobrás foi pioneira, ainda no final do século passado, na instalação de uma malha de fibra óptica de 500 km de cabos interligando as plataformas da Bacia de Campos. Esta foi a primeira rede de comunicações ópticas offshore do mundo, implantada em 1998.

Olhando adiante, a ampliação da rede de fibras ópticas da estatal, agora com foco na Bacia de Santos, vai no sentido da estratégia da Petrobrás de acelerar sua transformação digital. O aumento da malha das plataformas da região abre um leque de novas possibilidades, como suporte online de fornecedores por transmissão de vídeo, adoção de tecnologias digitais em larga escala, monitoramento remoto de plantas de processo em tempo real, entre outras. O edital da licitação e toda a documentação da concorrência (7003400055) está disponível no site da Petronect.

Fonte: https://petronoticias.com.br/concorrencia-para-instalacao-de-malha-de-fibra-otica-na-bacia-de-santos-agitara-o-mercado-nas-proximas-semanas/