A GNA (Gás Natural Açu), uma joint venture formada pela Prumo Logística, a BP e a Siemens, que está construindo o maior parque termelétrico a gás natural da América Latina, no Complexo do Açu, no norte fluminense, conseguiu aprovar um financiamento no BNDES de R$ 3,93 bilhões para UTE GNA II Geração de Energia e a implantação da usina termelétrica no Porto do Açu, no município de São João da Barra, na região Norte do Estado do Rio de Janeiro. A termelétrica contará com quatro conjuntos geradores, três movidos a gás natural e um a vapor. A capacidade instalada total será de 1.673 MW, energia suficiente para o abastecimento de 7,8 milhões de residências. Durante a construção, deverão ser gerados cerca de 5.000 empregos, com a previsão de outros 500 postos de trabalho quando a usina entrar em operação, contribuindo para o desenvolvimento da economia local.

AQAQAQAAQA

O projeto faz parte do parque termelétrico a gás natural que a GNA está construindo no Porto do Açu. A primeira usina, a UTE GNA I, de 1.338 MW de capacidade instalada, também contou com o apoio financeiro do BNDES. A usina está em fase final de construção e entrará em operação comercial no primeiro semestre de 2021. Suas instalações de recebimento, processamento e transporte de gás natural líquido (GNL) serão compartilhadas com a UTE GNA II. O GNL adquirido será armazenado em uma unidade flutuante (Floating Storage Regasification Unit – FSRU) permanentemente atracada, e será convertido em estado gasoso por um terminal de regaseificação e finalmente enviado para as duas usinas por um sistema de dutos.

dedeedd

Bernardo Perseke

Bernardo Perseke, Diretor-Presidente da GNA, disse que  “Hoje é um dia muito importante para a GNA. A aprovação do financiamento junto ao BNDES viabiliza a realização de um investimento muito significativo no Brasil e no Estado do Rio, um sinal de confiança para a retomada da economia no pós-pandemia. Além disso, a presença do BNDES no financiamento da UTE GNA II demonstra a sua confiança na visão estratégica da GNA para a criação de um hub de gás no Porto do Açu.”

Para Carla Primavera, Superintendente da Área de Energia do BNDES,  “O financiamento conta também com um componente de inovação, uma estrutura de crédito que assegura as fontes de recursos de longo prazo necessárias para a implantação projeto, mas também proporciona ao cliente a opção de escolha de outro financiamento e o melhor momento para a sua captação. A inovação está em linha com a estratégia do BNDES de incentivar o desenvolvimento do mercado de crédito a projetos de infraestrutura no Brasil, buscando também inovações que permitam o compartilhamento de riscos.”

Fonte: https://petronoticias.com.br/bndes-aprova-financiamento-de-r-393-bilhoes-para-construir-um-nov-usina-termica-no-porto-acu/