fpso

Plano Decenal de Energia (PDE) 2030 entrou em consulta pública nesta semana trazendo algumas previsões expressivas sobre como será o desenrolar do setor de óleo e gás no Brasil nesta década. O documento aponta que o segmento de exploração e produção (E&P) deve receber investimentos entre US$ 415 bilhões e US$ 454 bilhões no período, além de contratar 39 novas plataformas.

O documento ressalta, no entanto, que o cenário econômico difícil da atualidade, a redução do preço do barril, os efeitos da pandemia e até mesmo possíveis novas revisões nos planejamentos das petroleiras podem afetar essas previsões de investimento no próximo ciclo do PDE.

O PDE 2030 trabalha com a previsão de que a produção de petróleo no país atinja 5,3 milhões de barris por dia em 2030, aproximadamente o dobro do valor registrado em 2019. Para dar suporte ao crescimento dessa curva, o plano acredita que o Brasil terá até 39 novas plataformas instaladas ao longo dos próximos 10 anos.

“Admite-se que parte dessa demanda possa ser atendida por meio da tendência atual de padronização dos projetos de UEP do tipo FPSO e da conversão de navios existentes, permitindo, assim, a otimização de prazos e custos de construção. Admite-se também a possibilidade de afretamento para os casos de atrasos na entrega de UEP [unidade de produção]”, detalha o PNE 2030.

O documento, produzido pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE), afirma ainda que a produção de gás natural – sustentada somente por recursos da categoria de reservas – alcançará o pico em 2028, batendo a marca de 183 milhões de m³/dia, com um declínio suave até o final do período decenal.

O PDE 2030 também reforçou a ideia de que o pré-sal continuará sua caminhada de crescimento na participação total de produção de óleo no país. Até o final de 2030, a camadá responderá por parcela significativa (cerca de 79%) da produção nacional de petróleo. A Bacia de Santos terá um forte peso nesse cenário.

O plano acrescentou também que toda a Cessão Onerosa, incluindo Búzios, responderá por cerca de 37% do total da produção de petróleo em 2029. Outro destaque serão os campos de Mero e Bacalhau Norte, sob contrato de partilha de produção, que pode alcançar outros 712 mil barris por dia no final do decênio. Para participar da consulta pública do PNE 2030, é necessário entrar no site do Ministério de Minas e Energia e preencher o formulário de contribuições.