marlim

A produção da Petrobrás poderá ficar praticamente no mesmo patamar entre 2021 e 2025 na medida em que a companhia avança com desinvestimentos em terra, águas rasas, além das vendas de participações em Albacora e Marlim. Os números foram apresentados nesta segunda-feira (30) durante evento virtual para investidores da empresa.

Sem levar em conta os desinvestimentos, a produção da Petrobrás deve ficar em 2,75 milhões de barris de óleo equivalente por dia em 2021. O volume sobe para 3,3 milhões de barris por dia em 2025. Já no cenário que considera os efeitos dos desinvestimentos, a produção total da companhia totalizará 2,7 milhões de barris por dia em 2025.

O diretor de exploração e produção da petroleira, Carlos Alberto Oliveira, explicou que essa diferença de 600 mil barris de óleo se deve aos desinvestimentos em campos terrestres terra e águas rasas (impacto de 300 mil barris por dia) e aos desinvestimentos de Albacora e no polo Marlim (300 mil barris por dia).

Após 2025, poderíamos esperar um crescimento da produção, mesmo com desinvestimentos, em função do crescimento da produção em Búzios, onde até sete novos sistemas estão sendo planejados ou contratados a partir de 2024”, disse o executivo.

Especificamente para o ano de 2021, Oliveira disse que a previsão de 2,72 milhões de barris de óleo equivalente por dia prevista dentro do Plano de Negócios 2021-2025 é menor em relação ao planejamento anterior (2,82 milhões de barris por dia após desinvestimentos). A estimativa para o próximo ano poderá variar em 4% para cima ou para baixo, devido a incertezas ainda relacionadas ao impacto da pandemia na economia.