ddddd

O sistema de chama piloto da tocha (flare) do GasLub, o antigo Comperj, em Itaboraí, será aceso pela primeira vez durante testes entre hoje (26) e o próximo domingo (29). O Flare ficará aceso das nove da manhã até oito da noite. Esse equipamento tem a função de garantir a queima dos gases residuais quando da entrada em operação da UPGN – unidade de processamento de gás natural, sendo, portanto, um sistema de segurança da planta. Durante a realização dos testes, eventualmente será possível avistar uma pequena chama no topo da torre da tocha. O teste de acendimento do sistema de chama piloto da tocha faz parte do cronograma de obras e foi autorizada pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis,  pelo Instituto Estadual do Ambiente e pelo Corpo de Bombeiros. Em um comunicado da Petrobrás, a empresa diz que “os testes serão realizados com total segurança, não havendo qualquer impacto ou risco para as comunidades do entorno.” 

Para lembrar,  a empresa Fidens venceu o contrato para a montagem do Flare, mas a empresa teve uma série de dificuldades que a levou a pedir recuperação judicial. A MIP, de Minas Gerais, então, foi contratada para fazer a montagem e a instalação. A EBSE, do Rio de Janeiro, forneceu grande parte dos equipamentos e toda tubulação especial.

O Projeto Integrado Rota 3, em construção em Itaboraí (RJ), será a terceira rota para o escoamento da produção de gás natural dos campos da Petrobrás no pré-sal da Bacia de Santos e terá capacidade de processar até 21 milhões de metros cúbicos de gás por dia. A Petrobrás informou ainda que “as obras da Unidade de Processamento de Gás Natural (UPGN) seguem dentro do cronograma, assim como a instalação do gasoduto terrestre que interliga Maricá ao GasLub.  As obras têm previsão de conclusão em 2021.”