anp

A diretoria colegiada da Agência Nacional do Petróleo (ANP) aprovou nesta quinta-feira (17) a extensão do prazo para a Petrobrás concluir a venda de 69 campos maduros em terra e águas rasas. Para a maior parte desse grupo de ativos, o novo prazo será junho do próximo ano, enquanto que a parcela restante deverá ter o processo de desinvestimento concluído até 31 de dezembro de 2021.

Para lembrar, em dezembro de 2018, a Petrobrás enviou uma lista para a ANP apontando o interesse em ceder os direitos em 183 campos maduros. Até o mês de abril de 2020, a empresa já havia concluído os desinvestimentos em 61 campos e devolvido outros 13 para a agência. Restavam assim, naquela altura, 109 campos nas mãos da Petrobrás, que deveriam ser vendidos até o dia 31 de dezembro deste ano.

De abril para cá, a petroleira conseguiu avançar mais um pouco, mas não chegou a concluir a venda de todos os campos. Até agora, a estatal só conseguiu finalizar o desinvestimento em 39 e devolveu um deles. Restam, portanto, 69 campos ainda em processo de desinvestimento.

Com a decisão de hoje da ANP, a Petrobrás terá agora até 30 de junho de 2021 para vender 54 dos 69 campos que ainda restam. Eles estão localizados nos polos Recôncavo, Miranga, Remanso, Peroá/Cangoá, Garoupa,  Merluza e Ceará. Esses ativos já estão em estágio avançado de negociação, dentro da etapa de fechamento de contrato ou em fase de propostas vinculantes.

Já para os demais 15 campos restantes, o prazo para conclusão da transação será um pouco maior: 31 de dezembro do próximo ano. Os ativos em questão foram incluídos nos polos Bahia Terra, Carmópolis, Potiguar, Norte Capixaba, Alagoas, Urucu e Manati.