índice

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) pode prorrogar ou ampliar seus cortes de produção, a depender das condições do mercado dos preços do barril nos próximos meses. A declaração foi dada hoje (11) pelo ministro de Energia da Argélia, Mohamed Arkab. Além disso, a entidade espera que a demanda por petróleo no mundo se recuperará mais lentamente em 2021.

Segundo a OPEP, a demanda deve crescer em 6,25 milhões de barris por dia (bpd) em 2021, totalizando 96,26 milhões de bpd. Esse volume é 300 mil bpd menor em relação à previsão anterior. A revisão para baixo se deve aos números em alta de casos de coronavírus no hemisfério Norte, que está se aproximando agora do inverno.

“A recuperação da demanda por petróleo será severamente prejudicada e a fraqueza na demanda por combustíveis para transporte e indústria agora está estimada para durar até meados de 2021”, declarou a Opep em relatório.

No mercado, o que se comenta é que o enfraquecimento da demanda em 2021 incentivará o cartel de países a prorrogar seu atual acordo para redução de oferta de petróleo. Nessa semana, após positivas notícias envolvendo vacinas, os preços do barril de petróleo subiram, chegando a máxima de US$ 45, maior volume apurado em dois meses.