Manifestantes protestam em Veneza, na Itália, contra medidas de restrição do governo italiano para combater a 2ª onda de Covid-19 — Foto: Manuel Silvestri/Reuters

Manifestantes protestam em Veneza, na Itália, contra medidas de restrição do governo italiano para combater a 2ª onda de Covid-19 — Foto: Manuel Silvestri/Reuters

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, assinou na noite de terça-feira (3) um decreto para instaurar um novo toque de recolher em todo o país em meio à segunda onda de Covid-19 na Europa.

A Itália é o 6º país com mais mortes (39,4 mil) e o 12º com mais casos (760 mil) no mundo atualmente, segundo levantamento da Universidade Johns Hopkins.

A restrição será das 22h às 5h, começa na quinta-feira (5) e vai até 3 de dezembro.

O anúncio ocorre dias após Alemanha, França e Reino Unido anunciarem lockdowns para frear a nova onda de contágio que se espalha pelo continente.

Outras medidas, como bloqueios locais, também foram anunciadas. O decreto vai dividir o país em três áreas: zonas vermelhas, laranjas e verdes.

Nas zonas vermelhas, as pessoas só poderão sair para trabalhar, levar as crianças para a escola ou por motivos de saúde.

Conte deve detalhar outras restrições nesta quarta-feira (4), como o fechamento dos centros comerciais aos fins de semana.