Roberto Ardenghy

Aproveitando a proximidade da Black Friday, a caravana da liquidação de ativos da Petrobrás desembarcou desta vez em Sergipe. A empresa anunciou nesta sexta-feira (23) que colocou à venda o chamado Polo Carmópolis, que abrange um conjunto de onze concessões de campos de produção terrestres e instalações integradas.

Os campos terrestres de Carmópolis estão localizados em diferentes municípios do estado de Sergipe. São quase 3.000 poços em operação, que contam ainda com uma considerável infraestrutura no pacote: 17 estações de tratamento de óleo, uma estação de gás em Carmópolis, aproximadamente 350 km de gasodutos e oleodutos, além das bases administrativas de Carmópolis, Siririzinho e Riachuelo.

Mas a lista não para por aí. O desinvestimento inclui também o Terminal Aquaviário de Aracaju (Tecarmo), uma UPGN e uma estação de processamento de óleo, instalações de produção e alguns terrenos. Por fim, o processo de venda também oferece o Oleoduto Bonsucesso-Atalaia, com 48,6 km de extensão.

Apesar disso, a Petrobrás garante que continuará atuando em Sergipe, mas com outro foco: “A Petrobrás segue avaliando oportunidades de acordo com seu foco em águas profundas e ultraprofundas. Em Sergipe, por exemplo, a empresa realizou testes de longa duração na área de Farfan, em águas profundas, com bons resultados. Seguimos trabalhando para viabilizar o desenvolvimento desta área no menor prazo possível por meio de parcerias com outras empresas”, disse o diretor de Relacionamento Institucional da Petrobras, Roberto Ardenghy.

O executivo alega que, com o processo de venda, uma nova empresa ou consórcio possam fazer investimentos com foco específico nesses ativos. “Para a economia local, isso significa mais competitividade, mais geração de empregos e maior arrecadação de impostos. Para a Petrobras, é mais um passo importante na estratégia de concentrar seus recursos em projetos nos quais apresenta vantagem competitiva e obtém maior retorno”, completou.Compartilhar: